Continua após a publicidade.
ad

“Você ganhou alguns quilos desde a última vez que te vi.” “O que aconteceu com o seu rosto? Você está explodindo! “Você notou as rugas dele?” Descubra aqui o que é body shaming, seus efeitos e como evitá-lo.

O fim vergonha do corpo refere-se ao ato de criticar, zombar ou julgar a aparência física de uma pessoa. É uma prática muito comum e pode até se tornar parte da norma, parecendo inocente ou de boa intenção.

Seja cara a cara ou no anonimato da Internet, opinar sobre o corpo do outro é um comportamento que tende a magoar profundamente e contribuir para o desenvolvimento de problemas de saúde mental e física. Vamos nos aprofundar nisso.

Continua após a publicidade..
ad

Envergonhar o corpo: formas de manifestação

Ele vergonha do corpo ou a vergonha do corpo assume muitas formas, desde comentários ofensivos até expressões sutis de desaprovação; por exemplo, “você é muito magro, parece uma tábua de passar”, “você tem um rosto tão bonito, mas imagine se você também trabalhasse na sua figura”.

Como mencionado em artigo publicado no Jornal Internacional de Prevenção do Bullying, ele vergonha do corpo É uma forma de agressão social, embora nem sempre tenha a intenção de prejudicar.

A crítica envolve comentários depreciativos sobre peso, aparência facial, formato ou tamanho do corpo ou qualquer outro aspecto físico. Acontece tanto presencialmente quanto online, por meio de comentários, memes ou menções nas redes sociais.

Muitas vezes, justifica-se em um suposto discurso de saúde, por exemplo, quando alguém comenta “Estou te contando isso para o seu bem”, para criticar o corpo de outra pessoa.

Impacto emocional em pessoas que recebem humilhação corporal

As consequências emocionais para as pessoas sujeitas a vergonha corporal são profundas e podem levar a efeitos duradouros no seu bem-estar físico e mental. Estes são os seguintes.

problemas de auto-estima

Ele vergonha do corpo corrói significativamente a auto-estima. Comentários depreciativos e críticos sobre a aparência física fazem com que crianças, adolescentes ou adultos questionem seu próprio valor e sentimento vergonha do corpo dela.

Continua após a publicidade..
ad

Isto pode levar a um sentimento constante de inadequação e ter um impacto negativo em todas as áreas da sua vida, afetando potencialmente o desempenho académico e profissional.

Ansiedade, depressão e isolamento

A vergonha do corpo também costuma desencadear problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão. O medo de ser provocado ou de se sentir julgado pela aparência física cria um estado de ansiedade que afeta a capacidade de funcionar em situações sociais cotidianas.

Além do mais, Muitas pessoas que recebem comentários ridículos ou negativos optam por se isolar para evitar novas críticas. Na verdade, especialistas do Universidade Diponegorona Indonésia, mencionam a tendência das adolescentes em rejeitar convites sociais que envolvam sair de casa, por medo de serem julgadas pela sua aparência.

Subvalorização

Este tipo de práticas é suscetível de gerar na pessoa uma baixa motivação para interagir com terceiros. Dado isso, nasce a ruminação, pensamentos relacionados à visão que mereceremos para estes, Em suma, um sentimento de desvalorização que prejudica quem o possui.

Desordem alimentar

Comentários críticos direcionados ao peso ou à forma corporal levam a uma relação disfuncional com a comida e a uma percepção distorcida da imagem corporal. Como seria de esperar, os adolescentes são especialmente suscetível a isto. No entanto, os adultos não estão isentos.

Independentemente da idade, alguém que recebe comentários depreciativos sobre a sua aparência pode sentir uma pressão esmagadora para cumprir certos padrões de beleza, o que pode resultar em obsessão em perder ou ganhar peso e controle excessivo da alimentação.

Publicidade
ad

Uma investigação publicada na revista Comportamentos Alimentares aponta o que sentir vergonha pelo próprio organismo representa um dos fatores de risco mais significativos em relação a problemas de comportamento alimentar, como anorexia ou bulimia.

Como as redes sociais influenciam a prevalência de vergonha do corpo?

Na era da digitalização, o fenômeno da humilhação corporal encontra terreno fértil para se espalhar. Aplicativos como Instagram, TikTok e Twitter incentivam a comparação constante e a promulgação de ideais de beleza irrealistas, além de permitirem críticas implacáveis ​​ao corpo de outras pessoas. Tudo isso contribui para uma cultura obcecada pela imagem corporal.

Neste contexto, o chamado trolls, que são indivíduos escondidos atrás de uma tela, participam da Internet com a intenção de provocar, irritar e ofender outras pessoas, o que contribui para normalizar a humilhação.

Assim, o anonimato online permite que as pessoas se expressem sem enfrentar as consequências pessoais dos seus atos, sentindo-se completamente livres para fazer comentários ofensivos ou humilhantes sobre a aparência dos outros.

No entanto, o mundo digital também desempenha um papel fundamental no combate à vergonha do corpo. Por exemplo, através do movimento corpo positivo, que utiliza o poder influente das redes sociais para promover a aceitação da diversidade corporal, incentivando as pessoas a valorizarem-se como são.

Estratégias de prevenção

Para abordar e prevenir a prevalência deste comportamento dentro e fora das redes sociais, É fundamental implementar estratégias educativas e de conscientização que promovam uma cultura mais empática e respeitosa.

Um trabalho de pós-graduação da Universidade Casa Grandeem Guayaquil, destaca uma série de campanhas de comunicação como forma de erradicar a tendência de julgar e criticar a aparência física de outras pessoas, concluindo a importância do seguinte:

  • Promover uma nova definição de beleza, apelando ao valor da diversidade.
  • Tenha cuidado com as nossas palavras e levante a voz quando os direitos humanos são violados.
  • Contribuir para a criação de espaços seguros onde as pessoas partilham as suas experiências sem medo de julgamento.

Problemas sociais, compromisso coletivo

Não estamos falando de uma questão isolada ou insignificante. Pelo contrário, afecta um grande número de crianças, adolescentes e até adultos. É crucial, portanto, assumir um compromisso conjunto para resolver o problema da vergonha do corpo.

Juntos, temos o poder de moldar uma sociedade mais gentil e compassiva, onde cada pessoa se sente valorizada e aceite por quem é, para além da sua aparência.