Continua após a publicidade.
ad

Arqueólogos na Alemanha fizeram uma descoberta impressionante quando desenterraram um cemitério da Idade do Bronze em um sítio funerário na cidade de Nördlingen, na Baviera: uma espada ornamentada tão bem preservada que apresenta um lindo brilho metálico.

A espada, que tem cerca de 3.000 anos, estava em um túmulo juntamente com os restos mortais de um homem, uma mulher e uma criança. Não está claro se havia algum parentesco entre eles, segundo um comunicado divulgado pelo Escritório do Estado da Baviera para a Proteção de Monumentos.

Continua após a publicidade..
ad
O punho de bronze ficou verde desde que foi fabricado em meados da Idade do Bronze. Imagem: Schwert Griff; Archäologie-Büro Dr. Woidich

A arma tem um cabo octogonal ornamentado, apenas ferreiros muito habilidosos poderiam fazer espadas octogonais como esta. O cabo, que possui dois rebites, foi moldado sobre a lâmina em uma técnica conhecida como overlay casting, feito de bronze que, após milênios, exibe um tom esverdeado – reflexo da oxidação do cobre presente no bronze em contato com ar e água.

Continua após a publicidade..
ad

Os arqueólogos dataram a espada do final do século XIV AEC, e o fato de ter sido encontrada tão intacta é raro, tendo em vista que muitas sepulturas da Idade do Bronze Médio foram saqueadas ao longo dos tempos.

Curiosamente, embora a lâmina não mostre sinais de uso ou cortes visíveis, o que sugere um uso mais cerimonial ou simbólico, mas a distribuição de peso indica que poderia ter sido também uma arma eficaz em combate.

Publicidade
ad
A espada recém-descoberta foi descoberta em um cemitério que continha os restos mortais de um homem, uma mulher e uma criança. Imagem: Schwert am Fundort; Archäologie-Büro Dr. Woidich

A equipe de pesquisa tem conhecimento de duas áreas de fabricação de espadas octogonais na Alemanha. Uma região, local, ficava no sul da Alemanha, enquanto a outra vinha do norte da Alemanha e da Dinamarca, segundo o comunicado. No entando mão se sabe onde a espada recém-descoberta foi fabricada.

“A espada e o enterro ainda precisam ser examinados para que nossos arqueólogos possam classificar esta descoberta com mais precisão”, disse Mathias Pfeil , chefe do Escritório do Estado da Baviera para Proteção de Monumentos, que está envolvido na conservação da espada, no comunicado. “Mas já se pode dizer: o estado é excepcional! Um achado como este é muito raro!”