Continua após a publicidade.
ad

O hidrogênio verde é um tipo de hidrogênio produzido por meio de processos que não emitem dióxido de carbono (CO2), tornando-o uma fonte de energia limpa e sustentável. Tendo isso em vista, a corrida pela liderança na produção desse combustível ecológico e promissor é acirrada.

No entanto, a China parece mais do que preparada para vencer qualquer disputa relacionada, visto os processos significativos que tem feito na área.

Continua após a publicidade..

China e a produção de hidrogênio verde

Um relatório da Rystad Energy revela que a produção de hidrogênio obtida a partir de fontes renováveis ​​está em uma trajetória positiva, com perspectivas de superar 200.000 toneladas, uma meta estabelecida para 2025. Este avanço significativo reflete o compromisso crescente com a descarbonização e a transição para energias limpas.

A China, em particular, tem se destacado neste cenário, movendo-se rapidamente em direção ao seu objetivo de ampliar o uso do hidrogênio como uma estratégia crucial para reduzir as emissões de carbono.

De acordo com o relatório, a China está prestes a instalar quase 2,5 gigawatts (GW) de capacidade de eletrolisadores de hidrogênio até o final deste ano. Estes eletrolisadores são dispositivos que utilizam eletricidade para dividir a água em hidrogênio e oxigênio.

Continua após a publicidade..

Espera-se que essa capacidade instalada permita a produção de 220.000 toneladas de hidrogênio verde por ano (tpa), um volume que supera em 6.000 toneladas a produção mundial combinada até o momento.

Para efeito de comparação, a União Europeia distribuiu uma meta ambiciosa de produzir 10 milhões de toneladas de hidrogênio verde internamente e importar mais 10 milhões de toneladas até o final desta década. No entanto, em 2022, a produção de hidrogênio renovável na Europa alcançou apenas 20.000 toneladas.

Este dado sublinha o desafio significativo que a Europa enfrenta para atingir suas metas de hidrogênio verde, especialmente quando comparado ao rápido progresso da China.

Assim, o relatório da Rystad Energy não destaca apenas o progresso da China, mas também destaca a necessidade de esforços globais coordenados para aumentar a produção de hidrogênio verde, essencial para uma transição energética sustentável e a mitigação das mudanças climáticas.

Publicidade

Liderança global

Em 2023, a China Continental consolidou a sua liderança global em capacidade de eletrolisadores, alcançando a instalação cumulativa de 1 gigawatt (GW). Para a produção de hidrogênio verde, é necessário o uso de eletrolisadores.

Contudo, grande parte da produção de hidrogênio na China ainda é dominada pelo hidrogênio cinza, que é fabricado através de processos como a gaseificação do carvão ou a reforma a vapor do metano. Esses métodos têm um impacto ambiental significativo, pois liberam grandes quantidades de dióxido de carbono.

Imagem: Canva

O relatório indica que, para que a China cumpra seus objetivos duplos de carbono – atingir o pico das emissões até 2030 e alcançar a neutralidade carbônica até 2060 – será necessário um esforço crescente para adotar formas mais verdes de produção de hidrogênio, com baixo teor de hidrogênio carbono.

Em meados do ano, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China anunciou sua “Estratégia de Médio e Longo Prazo para o Desenvolvimento da Indústria da Energia do Hidrogênio”. Este plano nacional, abrangendo o período de 2021 a 2035, estabelece metas ambiciosas para o setor de proteção, incluindo a promoção de métodos sustentáveis ​​de produção.

Apesar do avanço, o relatório da Rystad Energy ressalta que as normas e soluções propostas pela China ainda ficam aquém dos padrões de referência mais especificados por seus homólogos europeus. Minh Khoi Le, Chefe de Pesquisa de Hidrogênio na Rystad Energy, afirmou no relatório: “Para catalisar mudanças verdadeiramente significativas, é imperativo que a China adote definições claras e rigorosas que se alinhem com as melhores práticas globais, como as observadas na Europa.”