Continua após a publicidade.
ad

A disgrafia é uma condição frustrante que dificulta o bom desenvolvimento acadêmico das crianças e pode estar associada a outras dificuldades. Descubra nesta leitura estratégias para poder enfrentá-lo.

A disgrafia é um distúrbio de aprendizagem que se manifesta por dificuldades de caligrafia. Ou seja, fica afetada a capacidade de formar letras e números manualmente, o que, se presente na infância, impacta negativamente no desempenho escolar.

Porém, se o seu filho sofre de disgrafia, temos uma boa notícia para você: existem vários caminhos a seguir para ajudá-lo. Portanto, não se desvie desta leitura, pois iremos oferecer-lhe diversos exercícios que você poderá realizar para enfrentar esta situação.

Continua após a publicidade..

Impacto da disgrafia na vida da criança

Para começar, é necessário indicar que, Por ser um distúrbio de origem neuronal, a disgrafia costuma vir acompanhada de outras dificuldades, como discalculia ou dislexia. (Graça e outros., 2017). Conseqüentemente, o pequeno terá que enfrentar um processo exaustivo para se expressar, pois cada letra e número exigirá um esforço tremendo.

Dependendo de qual componente da escrita é afetado, os sintomas podem variar. Entre eles estão:

  • cãibras nas mãos;
  • união de palavras sem sentido;
  • substituição de algumas letras por outras;
  • dificuldade em escrever em linha reta;
  • caligrafia inconsistente, difícil de interpretar;
  • erros ortográficos, de pontuação e gramaticais;
  • dificuldades motoras relacionadas à escrita (como segurar bem o lápis);
  • dificuldades com outras tarefas, como digitar ou resolver quebra-cabeças.

Como você pode imaginar, esse problema afeta seriamente não apenas o desempenho acadêmico da criança e seu processo de alfabetização, mas também sua vida emocional. Sentimentos de cansaço, frustração e tristeza são comuns. Então, o que você pode fazer para ajudar seu filho a melhorar a disgrafia? Vamos ver isso.

Como posso ajudar meu filho com disgrafia?

Uma criança com disgrafia necessita de apoio extra para superar ou lidar com esta dificuldade na escrita.. Embora muita ajuda venha de profissionais e professores especializados, você também pode realizar atividades bastante úteis em casa. Abaixo você tem alguns deles.

Continua após a publicidade..

1. Exercícios para desenvolver a coordenação motora fina

A parte motora da escrita é uma das mais frustrantes para as crianças. Para resolver isso, é bom realizar pequenas tarefas de coordenação e coordenação motora fina.como cortar papel, brincar com massinha, exercícios de pinça manual ou usar ferramentas para pegar objetos (como uma colher).

Todos esses exercícios podem ser apresentados de forma lúdica à criança para também criar sensações e ideias fortalecedoras.

2. Use ferramentas de suporte

Existem lápis e canetas mais ergonômicos, que permitem uma melhor aderência e evitam cãibras e rigidez nas mãos. Folhas de papel com padrões de grade e linhas também são úteis para controlar o tamanho e o alinhamento das letras, bem como a inclinação da linha.

Outra ideia é fazer com que ele escreva em diferentes texturas (como parede ou lixa), para que desenvolva a percepção tátil por meio de reações sensoriais.

3. Exercícios de caligrafia

Dos livrinhos típicos aos ditados em casa; Qualquer exercício que vise melhorar a braçada será benéfico para o pequeno. Não obstante, Por se tratar de uma prática direta, deve ser realizada em curtos períodos de tempo para evitar frustrações na criança.

4. Grupos de apoio para ajudar seu filho com disgrafia

Encontrar grupos de pessoas afetadas pela disgrafia, especialmente em crianças, é uma ótima maneira de ajudar seu filho. O efeito é duplo: enquanto a criança é colocada num ambiente seguro onde não se sente sozinha, os tutores também partilham experiências e adquirem recursos dos seus pares.

Além de acelerar a melhoria do desempenho da criança, os grupos de apoio têm um efeito psicológico positivo. Os sentimentos de solidão são reduzidos e as dificuldades da disgrafia são melhor abordadas, permitindo soluções mais positivas e eficazes.

Publicidade

5. Conte com a ajuda de um profissional

Conforme mencionado nos parágrafos anteriores, muitas crianças apresentam problemas além da disgrafia: dislexia, TDAH, lesões cerebrais, entre outros. Muito provavelmente será necessária uma intervenção psicopedagógica que integre diversas áreas.

Um exemplo das técnicas utilizadas na consulta é terapia de integração sensorial. Nele são realizados exercícios para melhorar a coordenação motora fina com base na percepção tátil. Por outro lado, um estudo publicado em A revista americana de terapia ocupacional afirma que a terapia ocupacional também tem se mostrado benéfica para aumentar a legibilidade.

6. Técnicas de relaxamento

Quando a tensão, o estresse e a frustração aumentam, é natural que a escrita do seu filho piore. Portanto, incutir uma boa inteligência emocional e ajudá-los a gerir esse desconforto é crucial para que o seu progresso seja real e positivo.

Para resolver esse problema, é benéfico usar técnicas como relaxamento muscular progressivo ou respiração profunda. Seria aconselhável consultar um psicopedagogo sobre como aplicá-los às crianças.

7. Use tecnologia assistiva

No mundo atual, onde a digitalização está presente em todas as áreas, existem ferramentas que podem cobrir diversas necessidades. Se você olhar com atenção, encontrará aplicativos tecnológicos e programas voltados para exercícios de escrita, que oferecem opinião em tempo real, práticas guiadas, entre outras opções disponíveis.

Um estudo publicado em Ciência aberta analisou a eficácia deste tipo de ferramentas, o que permitiu apontar que são eficazes na melhoria da legibilidade, na correta formação das letras e na automatização da escrita. Portanto, não hesite em usá-los.

Últimas notas sobre como ajudar seu filho com disgrafia

Para terminar, Ressalta-se que cada criança é diferente, principalmente no que diz respeito às dificuldades de desenvolvimento. Por este motivo, salientamos a importância da intervenção profissional, uma vez que nem todos os bebés respondem da mesma forma às ferramentas que lhes são fornecidas.

Será sempre mais útil para você, como responsável pelo menor, contar com ajuda profissional do que carregar sozinho todo o peso do problema. Assim, nas cartas, obtenha conselhos adequados para poder ajudar seu filho com disgrafia a resolver os problemas que possam surgir. Juntos eles serão capazes de superá-los.

Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e apaixonado por tecnologia, atualmente trabalho com projetos web e tenho orgulho de ser o idealizador do site Solte a Palavra.