Continua após a publicidade.
ad

Nem sempre é fácil expressar o que sentimos de maneira conveniente. Às vezes, essa dificuldade se traduz em um acúmulo de emoções não processadas, que se manifestam em problemas e/ou bloqueios físicos.

Emoções aprisionadas, o que são e como tratá-las?

Última atualização: 6 de junho de 2024

Continua após a publicidade..

As emoções aprisionadas são como pedrinhas no sapato: Eles nos causam desconforto, dor e atrapalham nosso caminho, até que nos libertemos deles.

Normalmente, por trás de um sentimento “encapsulado” em nosso corpo ou mente existem feridas ou experiências traumas não resolvidos, baixa inteligência emocional ou falta de autocuidado. Vamos nos aprofundar um pouco mais nisso.

O que são emoções aprisionadas?

Este conceito tem origem no livro O Código Emocional de Bradley Nelson, referência em cura emocional e energética. Antes de explorar sua teoria, é fundamental esclarecer que ela é considerada uma prática alternativa e que ainda não possui respaldo científico sólido.

Dito isto, Emoções aprisionadas são aquelas que não conseguimos expressar e processar adequadamente. Eles ficam encapsulados em nosso corpo e, mais cedo ou mais tarde, nos causam problemas de saúde física e/ou emocional. Apesar da falta de consenso profissional, a ligação entre emoções não elaboradas e sintomas físicos (somatização) não é algo novo.

A ansiedade geralmente se traduz em problemas gastrointestinais. A raiva reprimida é combustível para a hipertensão. Também não é por acaso que as crianças têm febre apenas quando os pais estão viajando. As doenças psicossomáticas expõem a natureza emocional de algumas condições médicas.

Continua após a publicidade..

Voltando às ideias de Nelson, cada emoção aprisionada estaria ligada a um ponto ou área específica do corpo. O biodecodificação compartilha uma perspectiva muito semelhante, sugerindo que cada sintoma ou doença tem um significado simbólico específico.

Onde estão encapsuladas as emoções que não expressamos?

O gráfico de emoções aprisionadas é uma ferramenta que faz parte da Terapia de Liberdade Emocional (ELT). A tabela lista diferentes sentimentos desagradáveis ​​e os relaciona a uma área ou órgão do corpo.

Por exemplo, o medo estaria ligado aos rins, a tristeza aos pulmões, a raiva ao fígado e o ciúme aos órgãos sexuais. Abaixo, compartilhamos a tabela completa.

Gráfico de emoções aprisionadas segundo Bradley NelsonGráfico de emoções aprisionadas segundo Bradley Nelson
Toda emoção não externalizada afeta alguma parte do corpo, segundo Nelson.

Embora esta abordagem receba duras críticas devido à falta de respaldo científico, a relação entre o corpo e as emoções é inegável. Eles nos dão mensagens que precisamos ouvir. Se lhes fizermos ouvidos moucos, eles insistirão para que os ouçamos, por vezes de forma dolorosa, desconfortável ou, na pior das hipóteses, dramática.

Como posso saber se tenho emoções aprisionadas?

Detectar se você bloqueou emoções é um desafio. Porém, existem alguns sinais que servem como indicadores, por exemplo:

  • Você sente bloqueio e estagnação em seu crescimento pessoal.
  • Você sente que há algo profundo que não lhe permite viver em paz.
  • Você tem sintomas físicos inexplicáveis ​​do ponto de vista médico.
  • Você se percebe incapaz de lidar com o estresse ou com as dificuldades da vida diariamente.
  • A intensidade de suas emoções e suas reações parecem excessivas para as situações que você está vivenciando.

Embora estes sinais possam indicar a presença de emoções estagnadas, eles não garantem a sua existência. Antes de chegar a essa conclusão, é importante considerar outros fatores e buscar uma análise mais completa de um profissional.

Como liberá-los

Depois de identificar as emoções emaranhadas dentro de você, é essencial que você encontre maneiras de liberá-las. Isso sim; Assim como as manchas nas roupas, algumas podem ser facilmente removidas com um pouco de esforço, como lavar com água e sabão. Enquanto outros são mais persistentes e requerem técnicas bastante elaboradas.

A mesma coisa acontece com emoções presas. Alguns deles têm origem mais profunda ou estão encapsulados há muito tempo. Nestes casos, a libertação envolveria um trabalho intenso.

Publicidade

Terapias para tratar emoções aprisionadas

Colocar em palavras o que sentimos é crucial nesse processo. Portanto, buscar ajuda por meio da psicoterapia tradicional é um bom primeiro passo para o alívio emocional. Aqui, o foco será curar feridas e trabalhar o gerenciamento emocional. Além disso, existem outras abordagens complementares.

Por exemplo, a terapia EMDR concentra-se no processamento de memórias traumáticas e emoções associadas usando movimentos oculares direcionados. Acrescentamos a técnica de exposição, que consiste em expor-se gradativamente a situações ou emoções evitadas, permitindo que o que está preso seja ativado e processado com segurança.

Outras formas de manifestação

É também necessário explorar outras formas de expressão, úteis tanto para prevenir como para libertar emoções reprimidas.

Expressão escrita

Escrever é como um portal para o seu mundo interior mais íntimo. As palavras podem guiá-lo para uma maior compreensão e libertação.

Você pode escolher as técnicas que melhor atendem às suas necessidades e preferências; de praticar registro no diário até escrevendo cartas que você nunca enviará, mas que o libertarão do peso do que não é dito. É uma atividade muito versátil, aproveite!

Expressão corporal

Nesse caminho, não se deve ignorar o papel que o corpo desempenha. Dançar, praticar esportes, praticar ioga ou apenas dedicar um tempo às técnicas de respiração ou varredura corporal, são uma grande ajuda para liberar emoções aprisionadas. Em suma, trata-se de se reconectar com o corpo de uma forma mais consciente e amorosa.

expressão criativa

Ao permitir que a criatividade flua, você libera suas emoções de uma forma única e transformadora. Na verdade, vários estudos indicam que participe da arte É uma das principais formas de reduzir os níveis de estresse e ansiedade. Então porque não explorar este poder de cura na pintura, na música ou no teatro?

O que você economiza no início, você paga depois

Às vezes, tentamos ignorar ou manter nossas emoções no mais profundo de nossas mentes, pensando que assim nos pouparemos de problemas. Mas a verdade é que essas emoções não desaparecem; Eles se acumulam e crescem como uma bola de neve, até se tornarem quase incontroláveis.

Embora pareça melhor evitá-los, mais cedo ou mais tarde teremos que lidar com eles. Para evitar que eles nos prejudiquem mais tarde, é melhor abordá-los quando corresponder.

Porém, neste artigo aprendemos que se chegarmos ao ponto em que algumas de nossas emoções ficam encapsuladas, nem tudo estará perdido. Com a coragem de enfrentar tais sentimentos, podemos desenterrá-los, compreendê-los e processá-los de forma mais saudável e adequada. Lembre-se que o apoio profissional também faz diferença nesse processo.