Continua após a publicidade.
ad

Albert Einstein, o maior físico do século 20, referiu-se aos brasileiros como “macacos” em seus diários de viagem escritos durante sua passagem pela América do Sul em 1925, segundo revela o livro “Os diários de viagem de Albert Einstein: América do Sul, 1925”, recentemente publicado pela editora Record no Brasil.

De acordo com a introdução do livro, organizada pelo historiador Ze’ev Rosenkranz, mesmo quando Einstein tinha opiniões positivas sobre seus anfitriões, ele adotava uma postura “paternalista em relação à população local em geral”. Em um trecho, o físico escreveu: “Ao meio-dia, na casa do Prof. Castro, legítimo macaco, mas companhia interessante”, referindo-se ao professor Aloísio de Castro, então diretor da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade..

Os diários também contêm descrições das paisagens naturais do Brasil, com o Rio de Janeiro sendo retratado como dotado de “penhascos gigantes que causam uma ‘impressão majestosa’”. Einstein destacou que a vegetação supera as narrativas das Mil e Uma Noites, afirmando: “Tudo vive e prospera (…) sob os próprios olhos”.

Continua após a publicidade..

No entanto, essas descrições são acompanhadas por referências ao pensamento racista comum na Europa do século XIX e início do XX, que atribuía ao clima uma influência decisiva no desenvolvimento intelectual. Einstein afirmou que alguns de seus interlocutores brasileiros aparentemente haviam sido “amolecidos pelos trópicos” e que o clima local não era adequado aos europeus.

O físico também criticou a eloquência e os “floreios linguísticos” demonstrados por seus anfitriões brasileiros em reuniões e palestras, atribuindo isso a uma consequência do clima. A introdução do livro observa: “É difícil não ver esta observação como uma expressão da superioridade europeia”.

Publicidade

O lançamento desses diários de viagem revela um lado complexo e controverso de um dos cientistas mais celebrados da história, destacando os preconceitos raciais e as atitudes eurocêntricas predominantes na época.

Os diários de viagem de Albert Einstein: América do Sul, 1925

Preço atualizado em 26 de maio de 2024 14:22