Continua após a publicidade.
ad

A estrela de Matusalém é mais velha do que o universo, se olharmos sem analisar as estimativas de idade corretamente. Ela possui uma idade estimada maior do que a idade do universo, que possui cerca de 13,8 bilhões de anos. A velha estrela possui, conforme estimativas, 14,5 bilhões de anos, quase um bilhão de anos a mais do que o universo.

Entretanto, como poderia uma estrela ser mais velha do que o universo, que a precede. Alguma das estimativas tem que estar errada, correto?

Continua após a publicidade..

Ela recebeu o nome popular pela imprensa quando as notícias sobre sua idade se espalharam pelas notícias, já que o Matusalém bíblico viveu 969 anos e, embora não possa ser mais velha do que o universo, a estrela é sim, muito antiga – possivelmente a mais velha de todas.

Nomeada tecnicamente de HD 140283, e popularmente conhecida com “estrela de Matusalém”, o velho sol é conhecida há quase 100 anos, e com certeza muito estudado desde então. A estrela é, com certeza, muito velha. Entretanto, nada pode ser mais velho do que o universo, pois se não houvesse universo, não poderia existir nada do que está por aí.

Esse, portanto, é um excelente exemplo para mostrar o desvio padrão e os “erros” intrínsecos aos cálculos e medidas. Veja que o termo erro está entre parênteses, pois não é exatamente um erro, mas um desvio-padrão, uma margem de erro irremediavelmente presente. Cálculos, como a datação de uma estrela, não são exatos, até porque estrelas não têm certidão de nascimento. Esses cálculos levam em consideração fatores como a composição da estrela, luminosidade, massa, volume etc.

Continua após a publicidade..

Como a estrela de Matusalém é mais velha do que o universo?

A estrela de Matusalém é mais velha do que o universo? Bom, não.

As medições desses dados das estrelas, ou de quaisquer outros corpos do universo estão sujeitas a grandes distorções, seja pela radiação residual no universo, seja por quaisquer outras interações ou interferências eletromagnéticas ao longo do caminho, ou até mesmo por problemas em nossas medições. Assim, por melhores que sejam as estimativas, o próprio nome sugerem que elas nunca são exatas.

Por exemplo, a idade da estrela de Matusalém é, mais especificamente, de 14,27±0,8 bilhões de anos, isto é, 14,27 bilhões de anos com uma margem de erro de 800 milhões de anos, ou 0,8 bilhão de anos. Dessa maneira, considerando o desvio-padrão de 3σ, a idade da estrela de Matusalém, HD 140283, está entre 11,87 e 16,67 bilhões de anos.

As estimativas da idade do universo também estão sujeitas ao desvio-padrão. Ou seja, o universo pode ser um pouco mais velho, como também um pouco mais novo do que 13,8 bilhões de anos. Assim, há uma faixa de tempo em que ambas as estimativas podem estar certas, assim como uma faixa em que pelo menos uma delas está errado.

Publicidade

“Como todas as estimativas medidas, está sujeita a erros aleatórios e sistemáticos. A sobreposição nas barras de erro dá alguma indicação da probabilidade de um choque com as determinações cosmológicas de idade”, disse ao Space.com o físico Robert Matthews, da Universidade Aston, em Birmingham, no Reino Unido

“Em outras palavras, a idade mais bem suportada da estrela entra em conflito com a idade derivada do universo [determinada pelo fundo cósmico de micro-ondas], e o conflito só pode ser resolvido empurrando as barras de erro para seus limites extremos”, explica o pesquisador.

Isso é e não é um problema. Ter a afirmação de que a estrela de Matusalém é mais velha do que o universo é um problema pois é uma inconsistência em relação ao que sabemos sobre o universo, e quanto mais inconsistências, menos robustas são as teorias.

Entretanto, também não é necessariamente um problema porque a ciência é, basicamente, composta por melhorias, comprovações e refutações.

O Telescópio Espacial James Webb foi lançado há pouco tempo e é o mais poderoso telescópio de sua classe já construído. Ele pode nos fornecer informações sobre o universo em um detalhe nunca obtido.

Assim, futuramente, inconsistências como essa podem ser melhor entendidas, e a nossa incansável busca pela verdade, um pouco saciada, mas nunca acabada.